Educar para a vida, eis a questão!!!

Olá pessoal, hj quero dar um depoimento, ou melhor, fazer um desabafo, sobre a eduação que quero para Ana Luiza!

Sempre quis ser para minha filha a mãe companheira que está presente em todos os momentos, a mãe amiga em que ela possa confiar em todas as situações mas, principalmente, a mãe que educa, que a auxilia a percorrer a estrada da vida impondo limites e ensinando através do exemplo, sem gritos, palmadas...

Fonte Imagem: Google
Hj li num outdoor a seguinte frase: "Educar um filho é ensinar-lhe o que é a viver. O quanto antes, melhor!" E fiquei refletindo se tenho agido da maneira como planejei. #culpademãeforever

Dias atrás a Bárbara do blog Baby Dicas falou aqui sobre as birras do "seu" Dudu e como ela fica sem saber como agir nesses momentos e me vejo em muitas situações assim tb, sem saber como agir, para que lado ir.

Eu já sei que quando AL está com sono ela começa a nos agredir, fazendo de tudo para nos tirar do sério e nessas horas procuro não bater de frente, se ela está berrando eu deixo berrar até cansar e só depois dela se refazer converso sobre o acontecido e suas atitudes. Mas, confesso que em muitos momentos me sinto a pior mãe do mundo, um fracasso total!

Tenho percebido que os piores momentos são aqueles em que procuro impor alguns limites como não ficar andando na hora das refeições, sentar para tomar a vitamina, hora para tomar banho (a hora do banho que sempre foi super prazerosa tem dias que simplesmente vira um caos, não quer lavar a cabeça etc e tal!). E por mais que eu tente manter a paciência, quando vejo, já estou gritando e ela chorando, aos berros, parece um hospício!

Esses dias a diretora da escola que ela estuda conversou muito sobre o que ela está vendo nessa geração, na sua opinião nós que tivemos aquela educação do tipo: "Quem manda aqui sou eu e ponto final!" estamos indo muito na corrente contrária e dando liberdade demais para nossos filhos questionarem decisões que não compete a eles, que ameçamos demais sem cumprir. Exemplo: "Se vc não obedecer vai ficar de castigo, se não fizer isso ou aquilo vai ficar de castigo. E o castigo não vem!"

Eu procuro de uma maneira geral cumprir minhas promessas de castigo mas acho que dou a ela essa tal liberdade quando digo: "Minha filha, mamãe não quer brigar com vc, não quero ser uma mãe que briga por tudo mas vc não obedece à mamãe! Promete que vai obedecer a mamãe, que não vai mais fazer malcriação?"

Sei que precisamos, como quase tudo na vida, achar um meio termo, um caminho em que possamos impor limites mas também dar a eles liberdade de expressarem seus sentimentos!

Mas como chegar a esse caminho? Será que só vamos ter a certeza de que fizemos bem nosso papel de mãe (e pai) quando eles já forem adultos? Será que não existe a possibilidade de sabermos, ainda agora, se estamos no caminho certo?

E com vcs, como tem sido?
Beijos

5 Comentários
Comentários
  1. Nossa impressionante..me identifiquei muito com essa situação, essa culpa é horrível, fico me cobrando o tempo todo.
    Difícil mesmo !

    ResponderExcluir
  2. Menina, aqui encarar as birras ainda temos as dificuldades de não podermos ignorar... Então, os castigos tem funcionado bem. Limites e rotina... são muito bons... faz parte do crescimento o limite, e também faz parte do crescimento avançar sobre eles...
    Estressar nesses momentos não nos faz 'menasmain', mas nos ajuda a sempre termos uma opção de refletir depois.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Oi Gariella, realmente a culpa é o nosso maior desafio como mães, precisamos riscá-la de uma vez por todas do nosso dicionário! :)

    Oi Juliane! Paarabéns pelo blog e pela sua coragem! Fiquei emocionada em ler seus relatos! Obrigada por fazer parte do nosso blog! beijos

    ResponderExcluir
  4. Sou mãe de duas meninas (10 e 6 anos). Existem muitas dúvidas quanto a educação de nossos filhos, só posso dizer uma coisa: na educação das minhas filhas, escuto meu coração! Não existe certo ou errado, existe o que é melhor para mim e para elas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Oi Bebeca! Relamente isso é verdade, nosso coração e nosso instinto são nossos melhores guias! Obrigada pela participação!!! bjs

    ResponderExcluir